Generali Companhia de Seguros

          Where we are
          shortcut to press release shortcut to financial figures shortcut to financial calendar shortcut to Generali stock shortcut to contact us shortcut to career go to HomePage go to search go to map go to Portuguese version go to English version shortcut to print page shortcut to send via mail shortcut to change font size

          O futuro da industria da construção

          Voltar

           

          O Futuro da Indústria da Construção

          31 Janeiro 2020

          FIC



          O Futuro da industria da construção não é apenas sobre economia, infraestruturas, regiões e desenvolvimento. É sobretudo acerca das pessoas!

          A construção em ritmo acelerado

          O ritmo acelerado da indústria de construção está invariavelmente ligado à demografia, à habitação, aos transportes e à energia – com uma ligação ainda mais forte nas economias em desenvolvimento. Com uma taxa de crescimento anual agregada de 4,2%, espera-se que a indústria global da construção aumente para US$ 10,5 biliões até 2023. A maior razão por trás desse crescimento é o aumento da procura de habitação e infraestruturas para atender a uma população em expansão. O aumento da procura por estruturas mais ecológicas, bem como a reabilitação e atualização de estruturas mais antigas, irá impulsionar a procura de construção nos próximos anos.

          O grande impacto social e económico

          A construção civil representa uma parte significativa (11%) do PIB global e emprega milhões de pessoas em todo o mundo. Por exemplo, na Europa, as atividades de construção constituem quase 8% do emprego total, o que reforça ainda mais esta correlação. Com o aumento do foco na construção mais amiga do ambiente, os empregos nestes projetos serão responsáveis por milhões de postos de trabalho.

          O paradoxo da construção

          Estamos perante um dilema: se uma população crescente impulsiona mais negócios para a construção, como irá a indústria da construção gerir o seu problema de escassez de FTE (Full-time equivalent) e de mão-de-obra menos qualificada?

          A indústria da construção está a enfrentar um défice inigualável de trabalhadores qualificados. Por exemplo, de acordo com o US Bureau of Labor Statistics houve uma escassez de 200.000 trabalhadores da construção civil em 2017, um número que deverá aumentar para quase 800.000 até 2020. Muitos indivíduos que deixaram a indústria durante e desde a crise económica global não foram substituídos, levando consigo a sua considerável experiência. Os profissionais qualificados mantiveram a primeira posição numa recente pesquisa de escassez de talentos nos EUA sobre a maioria das vagas de emprego desde 2010. Isto cria uma situação em que muitos empreiteiros lutam para encontrar profissionais suficientes com a competência relevante para satisfazer a procura presente e futura.

          As tendências recentes revelam um cenário competitivo em crescimento. De acordo com gestores de risco das principais empresas de construção, as formas alternativas de capital estão a invadir as áreas de construção e infraestruturas, impactando o preço final e a competência técnica de uma forma ainda mais premente. É importante adotar novas tecnologias que possam melhorar a segurança, garantir maior precisão e completar os projetos mais rapidamente, além de aumentar as receitas e diminuir os custos. Alguns exemplos destas novas tecnologias incluem módulos 3D, modelação de informação de construção, drones de construção, camiões e maquinaria pesada sem condutor.

          Creative Destruction

          A próxima geração de cientistas e engenheiros continua a desenvolver e a melhorar os métodos de construção. Os estudantes universitários já estão a aprender novas técnicas, ferramentas e materiais, mas se a sua perceção negativa da mão-de-obra qualificada não mudar, pode ser difícil substituir uma mão-de-obra envelhecida. Como sempre, aqueles que forem mais rápidos a adotar estes novos métodos terão uma vantagem e aqueles que não o fizerem poderão ficar para trás e/ou desaparecer.

          Experiência

          Em tais condições de mercado, é importante que os empreiteiros confiem num parceiro de negócios que compreenda a dinâmica do seu negócio. Um parceiro que possa discutir todas as dimensões da cadeia de valor da construção. A especialização não é apenas compreender os riscos enfrentados hoje, mas aqueles que serão enfrentados amanhã.



          Fernando Duarte

          Head of Global Corporate & Commercial Portugal

          • All
          • Institucional
          • Default
          • Title
          • Date
          • Random
          • All
          • Institucional
          • Default
          • Title
          • Date
          • Random